Arquivos da categoria ‘Sem categoria’

Desintoxicação: banho de sal amargo com bicarbonato de sódio

Postado em: 14/05/2014 às 13:03 por admin - Sem categoria

Tomar banho de sal amargo com bicarbonato de sódio é uma ótima maneira de limpar seu organismo de toxinas e aumentar seus níveis de magnésio. Com o uso das injeções de Methyl B12, ele passa a ser uma necessidade, pois é uma maneira rápida de eliminar as toxinas liberadas.

O sal amargo, também conhecido como sal de Epsom é o  sulfato de magnésio (Mg SO4). Muitas pessoas confundem o sulfato de magnésio com o cloreto de magnésio, por isso, preste atenção na hora de comprar. Tanto o sal amargo quanto o bicarbonato de sódio, são usados há muitos anos na medicina popular.

O sal amargo aumenta os níveis de magnésio e sulfatos do corpo e o bicarbonato de sódio, neutraliza a acidez e promove a eliminação de toxinas. O sulfato de magnésio é um  composto mineral natural que pode ser usado internamentecomo um laxante natural, ou externamente, em escalda pés ou banhos de imersão. O magnésio e os sulfatos são facilmente absorvidos pelo corpo.

Muitas pessoas têm deficiência de magnésio. Ele está envolvido em diferentes atividades enzimáticas, é necessário para o metabolismo de outros minerais, para a utilização adequada da insulina, para os músculos, nervos e para o sono.
O magnésio ajuda a manter o ritmo normal do coração e a pressão arterial, bem como protege a parede das artérias.

A deficiência em magnésio pode estar ligada a problemas comuns, tais como insônia e irritabilidade. Os sulfatos limpam o sangue e eliminam as toxinas das células. Isso faz com que sirvam para aliviar dores articulares também. Sulfatos são também necessários para a síntese de colágeno novo, o que é bom para se ter uma pele saudável, jovem e bonita.

O Bicarbonato de sódio tem um efeito alcalinizante no organismo. Ele neutraliza o excesso de acidez que o consumo de determinados alimentos causam em nosso corpo.
Para tomar o banho, misture meia xícara de sal amargo com meia xícara de bicarbonato de sódio em uma banheira de água quente. Fique nessa água de 20 a 30 minutos. Não enxague o corpo, apenas seque com uma toalha macia. Tome esse banho, preferencialmente, à noite. O efeito da água quente com a liberação de toxinas pode causar sonolência ou mesmo alguma tontura.

Apesar de ser relaxante, algumas crianças podem ter insônia com esse banho. Caso isso ocorra, diminua a quantidade de sal amargo, até achar a quantidade ideal. Depois vá aumentando progressivamente. Ou então, dê o banho durante o dia. Esse banho não é recomendado para  mulheres grávidas e pessoas com problemas cardíacos e pressão alta.

 

Via santadecasafazmilagre.blogspot.com.br

Crenças sobre o Sal

Postado em: 23/04/2014 às 12:36 por admin - Sem categoria

Nas crenças populares, ele é um ingrediente obrigatório para afastar demônios e feiticeiras. No Brasil, senão uma prática, o banho de sal grosso é uma expressão comum para designar proteção contra o mau-olhado. Recipientes com sal e uma cabeça de alho podem ser vistos com freqüência não apenas em casas, mas também em lojas e escritórios. A explicação de um demonólogo francês do século 16 para os poderes anti-diabólicos do sal: “ele é a marca da eternidade e da pureza, porque jamais apodrece ou se corrompe. E tudo o que o diabo procura é a corrupção e a dissolução das criaturas, tanto quanto Deus busca a criação. Daí a obrigação, pela lei de Deus, de colocar sal na mesa do santuário…”

Povos antigos atribuíram ao sal poderes afrodisíacos e acreditavam que sua carência reduzia a potência sexual dos homens. Uma gravura satírica francesa do século 16 mostra mulheres de diversas classes sociais numa atividade insólita: debruçadas sobre maridos sem calças, que esperneiam, aprisionados em barris, elas esfregam com sal, vigorosamente, suas partes íntimas.

Até hoje é grande o número de superstições em torno do sal. Algumas delas:

• O saleiro passado de mão em mão a outra pessoa da mesa traz má sorte. No Brasil, recomenda-se que ele não seja levantado da superfície da mesa. Nos Estados Unidos, existe o ditado “passe-me sal, passe-me sofrimento”.

• Jogar sal afugenta os vampiros.

• Usar um sachê de sal pendurado no pescoço afasta os maus espíritos.

• Derrubar sal traz má sorte, a menos que se jogue uma pitada por cima do ombro direito.

• Para afastar maus espíritos, joga-se sal por cima do ombro esquerdo.

• Cada grão de sal derrubado equivale a uma lágrima. Para evitá-las, leva-se imediatamente o sal derrubado para uma panela no fogo. Isso bastará para secar as lágrimas.

• Emprestar ou pedir emprestado sal ou pimenta destrói a amizade. É melhor oferecê-los e aceitá-los como um presente.

• No oriente médio acredita-se que quando duas pessoas comem sal juntas, formam um vínculo. Por isso, usa-se sal para selar um contrato.

• No Havaí, a pessoa que volta de um funeral polvilha sal sobre si mesma, para garantir que maus espíritos que rondassem o defunto não a acompanhem em casa.

• No Japão, espalha-se sal no palco antes da apresentação para evitar que maus espíritos joguem pragas sobre os atores.

• Em muitos países espalha-se sal no umbral da porta de uma casa nova para impedir a entrada de maus espíritos.

Peixe em crosta de sal

Postado em: 26/03/2014 às 13:18 por admin - Sem categoria

Ingredientes:

- 1 robalo ou uma dourada, com cerca de 800g
- 2 ou 3 pacotes de sal grosso
- Ramos de ervas aromáticas variadas (manjericão, salsa, coentros, etc.)
- Papel de alumínio

Preparação:

1. O peixe não precisa de grandes cuidados. Coloque o peixe já amanhado (solicite-o aquando da compra) sobre um prato limpo, e encha a barriga com os ramos de ervas aromáticas variadas até tapar completamente a barriga. Dessa maneira o sal, não irá entrar no peixe, e as ervas vão-lhe dar um sabor especial.

2. Escolha uma travessa grande que possa ir ao forno, e onde caiba o peixe que comprou. Forre-a com papel de alumínio.

3. Coloque um pacote de sal a cobrir toda a base da travessa. Se necessitar coloque mais sal, pois não há problemas de excesso, ou qualquer risco do peixe ficar salgado.

4. Coloque o peixe ao centro da travessa, por cima do sal. De seguida, pegue noutro pacote de sal e verta-o sobre o peixe, tapando-o completamente. É conveniente que fique uma película de 1 centímetro de sal sobre o peixe, para o cozinhar bem. Mas não se preocupe com este pormenor, pois ao ir ao forno, o peixe ficará sempre bem cozinhado e apetitoso.

Pode salpicar o sal, com gotas de água, o que ajudará a cristalizar o sal e fazer uma película mais compacta.

5. Agora que já tem o peixe, completamente envolvido em sal, coloque a travessa no centro do forno e deixe-o a cozinhar em temperatura máxima, durante 20 minutos.

Depois deste tempo, desligue o forno e deixe ficar o peixe mais 15 minutos, a cozinhar no calor remanescente.

6. Passado este tempo, retire a travessa do forno e coloque-a sobre uma bancada segura, pois vai iniciar uma operação cirúrgica delicada: tirar o peixe do sal.

7. A forma mais fácil é esta: escolha uma faca normal e bata ligeiramente no sal. Este irá partindo-se e saindo por lascas. Vá retirando o execesso de sal, aos poucos até tirar toda a cobertura de sal do peixe.

De seguida, com cuidado, só tem que “levantar ” o peixe com uma espátula larga, para não o partir e colocá-lo sobre uma travessa limpa.

Em alternativa, há quem goste de servir o peixe ainda na travessa de sal, mas tem que ter cuidado para não o salgar, evitando que partes de sal caiam sobre o peixe.

8. Pode acompanhar com uma salada de alface e rúcula temperada com azeite e limão.

Produção de sal quadruplica em 2013

Postado em: 29/08/2013 às 18:57 por admin - Sem categoria

DSC01642A indústria salineira do Rio Grande do Norte, após anos de queda na produção, retoma o fôlego e espera quebrar mais um recorde na extração de sal em 2013. De acordo com dados do Sindicato da Indústria da Extração de Sal do Rio Grande do Norte (Siesal/RN), deverão ser produzidas até cinco milhões de toneladas de cloreto de sódio até o final deste ano nas 35 salinas ligadas à instituição. Em 2012, foram produzidas 997 mil toneladas. O referido dado faz do Estado potiguar o maior produtor, com domínio de 95% sobre o total extraído nacionalmente. A maioria massiva da produção deverá ser escoada pelo  Terminal Salineiro de Areia Branca, que carrega os navios cargueiros para o mercado brasileiro e internacional.

Após dois anos em obras, o Porto-Ilha duplicou a capacidade de armazenamento, ampliou a área de cais em quase 100 metros, o que possibilita o atracamento de até duas embarcações por vez para descarregamento, além de ter potencializado o transbordo de navios cargueiros, transportando para os porões de tais embarcações, até 2.500 toneladas de sal por hora. A reforma custou R$ 270 milhões e foi financiada pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). “Após a duplicação do Porto-Ilha, foi possível ampliar a capacidade de exportação do sal, o que representará um grande impulso para a economia do Rio Grande do Norte”, afirma o presidente da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), Pedro Terceiro de Melo.

De acordo com o vice-presidente do Siesal/RN, Airton Torres, a previsão é de que 350 mil toneladas do produto sejam exportadas ao longo deste ano. “O número é ainda considerado pequeno. Há oito anos, chegamos a exportar 800 mil toneladas”, destaca Airton Torres. Ele esclarece que, em decorrência dos anos chuvosos, a produção na zona salineira caiu e, consequentemente, a venda do cloreto de sódio para o mercado externo sofreu uma redução. Entretanto, a falta de chuvas que é lamentada pelo sertanejo é motivo de ampliação de negócios para os salineiros. Isto porque quanto mais quente é o clima, maior é a evaporação de água do mar, o que contribui para uma melhor produção.

“A partir de 2012, que foi um ano de poucas chuvas, a produção retomou os níveis normais. Nós vimos os estoques serem repostos. Eles foram quase zerados quando a região salineira foi inundada pelas enchentes dos rios da Região Oeste”, relembra Airton Torres. Além da retomada da produção em níveis que poderão exceder o registrado no passado, a alta do dólar, segundo o presidente da Codern, Pedro Terceiro de Melo, deverá ser um fator positivo para o mercado da indústria salineira potiguar. Atualmente, um potencial consumidor do cloreto de sódio produzido no Estado potiguar é a Nigéria, além do Canadá, Noruega e Estados Unidos.

Além dos ganhos econômicos em nível estadual, o município de Areia Branca, distante do Porto-Ilha aproximadamente 26 quilômetros, arrecada impostos com a extração do sal e tem sua economia movimentada com os empregos diretos e indiretos gerados pela operacionalização do terminal salineiro. De acordo com o auditor do Município, Frederico Almeida, ocorreu um aumento na arrecadação do ICMS as obras de ampliação do Porto-Ilha. Por mês, através do Imposto Sobre Serviços (ISS) pago pelas empresas que operam, basicamente, o serviço de traslado de embarcações, a cidade arrecada R$ 360 mil, o que corresponde a metade do repasse federal através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

A expectativa da Codern é, a partir da ampliação do potencial de estocagem e carregamento a partir do Porto-Ilha de Areia Branca, ampliar ainda mais os negócios do setor salineiro. “Nós podemos servir melhor e mais rápido aos produtores de sal. Aumentamos nossa capacidade e contribuímos economicamente para o desenvolvimento do Estado”, enfatiza Pedro Terceiro de Melo. Por mês, o terminal custa à Codern cerca de R$ 800 mil, excluídas as despesas com manutenção periódica. A receita pode variar até R$ 2 milhões, de acordo com o total de embarcações atracadas e movimentação de mercadoria.

via Tribuna do Norte.

RN é referência na produção do mais fino sal do mundo

Postado em: 29/01/2013 às 20:22 por admin - Sem categoria

É dentro dos tanques de água salgada das salinas que brota o mais fino tipo de sal produzido no mundo: a Flor de Sal. Ela também é conhecida por ‘pó do mar’ e ‘nata das salinas’. No município de Mossoró, na região Oeste do Rio Grande do Norte, uma salina foi a primeira empresa brasileira a produzir o raro e delicado cristal da primavera.

A comparação do produto com a gordura retirada do leite faz sentido: a Flor do Sal se forma na parte superior da água e, de fato, representa a melhor parte do sal.

A França iniciou a comercialização da Flor de Sal no Brasil. Porém, com quatro anos de experiência, os brasileiros já obtêm um produto considerado muito superior. Somente em Mossoró, são produzidos de sete a oito toneladas de Flor de Sal anualmente.

Isso ocorre porque a região salineira do RN possui as condições ideais para a cristalização do cloreto de sódio. Uma terra argilosa que dificulta a infiltração da água, muito sol, muito vento e muita chuva.

A Flor de Sal é colhida após o meio-dia. Isso porque o sol, o clima seco e os ventos fortes do período da tarde fazem com que o cristal aflore e flutue sobre a água. Os colheitadores têm cerca de 10 minutos para retirar de cada tanque os grãos, para evitar que a Flor de Sal se cristalize e vá para o fundo dos reservatórios.

Da salina, o material coletado é levado diretamente ao envazamento, o que faz com que a Flor de Sal seja mais úmida que o sal comum. De forma manual, as impurezas são retiradas e o produto colocados nas embalagens que vão para o mercado, custando R$ 20 cada 150 gramas.

Perguntas e Respostas sobre Sal.

Postado em: 19/12/2012 às 18:48 por admin - ciência, curiosidades, dicas, saúde, Sem categoria

O sal desempenha função importantíssima em nosso corpo. O sódio, presente no sal, é essencial para o bom funcionamento do organismo, auxiliando os sistemas nervoso e muscular. Mas, é importante advertir, é um perigo se for consumido em excesso.

A seguir, responderemos algumas dúvidas frequentes a respeito do sal.

Sal e sódio são sinônimos? Não. Sal e sódio não são sinônimos. Na verdade, o sal é composto por cloreto de sódio. Em seis gramas de sal, há 2,4 gramas de sódio. Os rótulos dos produtos costumam informar a quantidade de sódio, e não de sal, presente no alimento.

Que quantidade de sal deve ser consumida diariamente por um adulto saudável? 5 gramas de sal por dia. A recomendação diária de sódio ideal para um adulto sadio é de 1.600 a 2.400 mg, ou seja, entre 4 e 6 gramas de sal de cozinha por dia, o que equivale a duas ou três colheres de café.

O número de sachês de sal adicionado às refeições serve como medida de consumo? Não. Cerca de 75% do sal que você consome diariamente vem de alimentos industrializados, somente 25% origina-se do sal acrescentado aos alimentos naturais.

O sal pode ajudar a prevenir cãibras musculares? Sim. São inúmeras as causas das cãibras, mas os principais fatores que predispõe seu aparecimento são grandes perdas de sódio e líquidos e, por isso, elas são tão comuns em atletas, já que eles suam mais e perdem minerais. O sódio é um mineral importante na transmissão dos impulsos nervosos e nas ações que levam ao movimento. Um déficit desse elemento torna os músculos mais sensíveis, fazendo com que uma leve tensão ocasione uma contração incontrolável, a cãibra.

Qual dos sais é o mais saudável? O sal mais recomendado, desde que você não tenha restrição alimentar, é o marinho. Ele preserva mais de 80 tipos de nutrientes, como bromo e magnésio, que costumam ser eliminados na refinação do sal comum.

Quantas calorias existem em um sachê de 1g de sal refinado? Por ser formado por cloreto de sódio, o sal não possui calorias.

Feliz dia dos pais

Postado em: 10/08/2012 às 17:45 por admin - Sem categoria

A Refimosal homenageia os heróis das famílias, os exemplos das casas, os queridos pais. Feliz dia dos pais!

Arroz à parmegiana

Postado em: 19/06/2012 às 12:43 por admin - Sem categoria

Preparo: Rápido (até 30 minutos)

Rendimento: 4 porções
Dificuldade: Fácil
Categoria: Arroz e risoto
Calorias: 822 por porção

Ingredientes

. 3 xícaras (chá) de arroz cozido “al dente”
. 2  berinjelas médias cortadas em fatias
. 4 tomates cortados em rodelas
. 250g de mussarela fatiada
. 1 xícara (chá) de queijo ralado
. Sal e pimenta a gosto
. Azeite a gosto
. Óleo para fritar

Modo de preparo

Deixe as berinjelas de molho na água com sal por alguns minutos. Escorra e esprema para retirar o excesso de água. No óleo quente frite as fatias de berinjelas e coloque sobre papel absorvente para retirar o excesso de gordura. Em um refratário alterne camadas de arroz, berinjela, tomate e mussarela temperadas com sal, pimenta e regadas com azeite. Termine com uma camada de arroz e polvilhe o queijo ralado. Leve ao forno pré aquecido a 200°C até dourar.

 

Uma ótima receita para um almoço em família! Anote já.

Feliz Dia das Mães!

Postado em: 13/05/2012 às 18:36 por admin - Sem categoria

A Refimosal deseja um feliz dia das mães!

 

 

Publicada a NT 2012/002

Postado em: 11/04/2012 às 13:17 por admin - Sem categoria

Publicada a NT 2012/002 contendo as especificações técnicas necessárias para a implementação dos eventos vinculados à Manifestação do Destinatário: Ciência da Operação, Confirmação da Operação, Desconhecimento da Operação, Operaçao não Realizada.
O objetivo da distribuição desta nota é possibilitar às empresas destinatárias de NF-e o desenvolvimento de suas aplicações, visando os testes que serão realizados, a partir de julho, na área de homologação do Ambiente Nacional da NF-e.
Os eventos vinculados à Manifestação do Destinatário serão disponibilizados, em ambiente de produção, a partir do dia 01/08/2012.

Via: Coordenação Técnica do ENCAT