Arquivos da categoria ‘curiosidades’

Curiosidades sobre o sal de cozinha

Postado em: 13/11/2014 às 21:14 por admin - curiosidades

O sal comum, chamado também de sal de cozinha ou sal de mesa, é quimicamente conhecido como cloreto de sódio (formado da reação do ácido clorídrico com a soda cáustica – propriamente um ácido e uma base).

A função do sal no organismo humano é controlar as substâncias que entream e saem das células. Graças a ele, a quantidade de nutrientes e água das células estão sempre regulados.
O sal tem um significado religioso para muitos povos. É o caso dos judeus, que consideram o sal símbolo da aliança de Deus com o ser humano. O pão do sabá é sempre molhado em sal. Aliás, tanto os judeus quanto os muçulmanos usam o sal para afastar o mau-olhado.
Os romanos costumavam pagar suas legiões com sal. Foi daí que nasceram as palavras soldo, salário e soldado. Soldado era o legionário que recebia o salário em sal.

Os egípcios costumavam usar sachês de sal grosso para retirar a umidade do corpos dos mortos durante o processo de mumificação.

Uma das principais causas da hipertensão é o excesso de sal no organismo. Com muito sal na circulação sanguínea, o organismo retém mais água, provocando aumento no volume de sangue. O excesso de sal também provoca contração nas paredes das arteríolas, prejudicando a passagem do sangue.

A diferença entre o sal refinado e o sal grosso está no processo de refinamento. O sal de cozinha comum é lavado, moído, centrífugado, seco em alta temperatura e peneirado. Ele também recebe iodo antes de ir para a embalagem. Já o sal grosso mantém essa aparência por que o processo de recristalização é mais lento.

O iodo (ou iodato de potássio) é acrescentado ao sal a fim evitar uma doença da tireóide chamada bócio.

Sal na pele do sapo irrita, dói e provoca sufocamento no animal. Ele pula como um louco. Mas por quê o sal faz tanto mal para os sapos? Simples, porque eles respiram pela pele. O sal “rouba” água do organismo e atrapalha a respiração do bicho.

24 maneiras de usar o sal de cozinha na limpeza

Postado em: 13/09/2014 às 18:03 por admin - Cozinha, curiosidades, dicas

Alguns dos produtos que costumam ser estocados no armário de comida também poderiam perfeitamente ser guardados no armário de produtos de limpeza. Vendidos a baixo custo, o vinagre, o limão e o bicarbonato de sódio estão entre os itens mais conhecidos que não podem faltar na cozinha e servem como aliados na hora da limpeza.

O que muita gente não sabe é que o sal, somado a esses produtos ou simplesmente diluído em água, também é um poderoso agente de limpeza. Usando o sal para limpar sua casa, você poupa seu bolso e a natureza de resíduos de produtos industrializados nocivos ao meio ambiente. Veja, a seguir, 24 receitas para usar o sal na limpeza diária de sua casa.

Sal puro

Algumas pitadas de sal de cozinha podem servir como desodorizadores eficientes ou evitar que manchas se fixem nos tecidos.
Para tirar o mau cheiro dos sapatos, especialmente dos tênis, coloque cerca de duas colheres de sal em cada pé e esfregue um pouco. Depois leve ao sol por 30 minutos.
O sal também pode ser usado para retirar o cheiro de cebola das mãos e das garrafas térmicas e “squeezers” que ficaram fechados por muito tempo. Basta aplicar uma quantidade suficiente de sal, esfregar um pouco e depois enxaguar.
Ferver o leite em vasilhames de alumínio deixa uma sujeira difícil de ser removida. Para facilitar sua tarefa, aplique um pouco de sal e deixe descansar por alguns minutos. Depois remova com uma esponja. A dica também é válida para ajudar na limpeza de ovos fritos que grudam nas frigideiras.
Logo depois de ter derramado alimentos gordurosos sobre tecidos, aplique um punhado de sal sobre a mancha para evitar que ela não se espalhe. O mesmo vale para acidentes com vinho sobre o sofá: aplique sal e deixe descansar por 15 minutos para que ele absorva o excesso da bebida.
Se tiver usado panelas de ferro para preparar alimentos gordurosos, polvilhe um pouco de sal, deixe descansar por alguns minutos e retire o excesso do sal com um papel toalha. Assim, a limpeza fica muito mais fácil. O sal também ajuda a retirar manchas escuras deixadas por chá e café nas xícaras de louça.

Sal + vinagre + farinha de trigo
Peças de decoração feitas de metal, estanho, bronze e cobre, bem como pias e maçanetas de portas podem ganhar brilho extra quando submetidas à limpeza com pasta de sal. Misture partes iguais de sal, farinha de trigo e vinagre e deixe de molho por três horas. Depois tire o sal com uma escova macia e passe um pano para lustrar.

Sal + amido de milho + água
O sal também pode poupar seu gasto com argamassa para tampar os indesejáveis buracos deixados pelos quadros. Isso porque uma pasta de partes iguais de sal, amido de milho e água é ideal para fechar buracos pequenos e rasos feitos nas paredes.

Fonte: bBEL

Receita de bolo de batata

Postado em: 27/08/2014 às 13:42 por admin - Cozinha, culinaria, curiosidades, dicas

Preparo: Rápido (até 30 minutos)

Rendimento: 6 porções
Dificuldade: Fácil
Categoria: Torta salgada e quiche
Calorias: 318 por porção

Ingredientes

· 2 pacotes de purê de batata prontos (à venda nos supermercados)
· 2 ovos
· 1/2 xícara (chá) de queijo ralado
· 200 g de presunto cozido
· 1 lingüiça-calabresa defumada
· 1 colher (café) de manjericão picado
· 1 colher (chá) de salsinha picada
· 100 g de bacon em cubinhos
· Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Prepare o purê conforme as instruções do fabricante. Retire do fogo e junte os ovos, 2 colheres (sopa) de queijo, o sal e a pimenta. Mexa bem e reserve. Triture o presunto em um processador com a lingüiça sem pele e tempere com o manjericão e a salsinha.

Em uma fôrma de aro removível forrada com papel-alumínio faça uma camada com metade do purê. Espalhe o recheio de presunto e aperte bem com as costas de uma colher. Cubra com a outra metade do purê e polvilhe a superfície com o bacon e queijo ralado restante. Leve ao forno médio preaquecido até começar a dourar ligeiramente.

Dica: O resultado será o mesmo se você usar purê de batata caseiro.

Diferentes usos do sal na limpeza

Postado em: 13/08/2014 às 14:15 por admin - curiosidades, dicas

O sal também pode ser aliado da dona de casa na hora da limpeza.

Limpeza da cozinha

Para limpar gordura das panelas de ferro, espalhe um pouco de sal na panela e deixe descansar por um tempo. Depois disso, retire o excesso de sal com um papel toalha e a lavagem da panela ficará bem mais fácil.

Para remover as manchas escuras que o café e o chá deixam nas xícaras de louça, você também pode usar essa mesma técnica com o sal.

Para eliminar manchas de vinho tinto de tecidos, primeiro retire o máximo de líquido possível da área onde foi derramada a bebida. Jogue sal na mancha e deixe descansar por quinze minutos. Depois desse tempo, o sal ficará rosa, pois deverá absorver o resto de vinho que ficou no tecido. O próximo passo é limpar a mancha com uma solução de uma xícara de água e outra de vinagre.

O sal também pode ser utilizado para diminuir o cheiro ruim de garrafas térmicas e garrafas “squeeze”. Deixe uma colher de sal dentro da garrafa e aguarde alguns minutos. Em seguida, enxágue a garrafa e lave normalmente com sabão de sua preferência.

Limpeza do banheiro

Para limpar a pia, o vaso sanitário ou a banheira, você pode fazer uma mistura de água raz e sal. Aplique a pasta nas fixações esmaltadas e deixe descansar por quinze minutos para tirar o amarelo encardido. Depois disso, passe uma esponja úmida para limpar.

Para limpar o piso, adicione meia xícara de sal em um balde com água morna. Aplique a mistura com um esfregão e depois enxágue o chão.

Limpeza de sala e quartos

Para limpar tapetes e carpetes com manchas de gordura ou vinho, retire o máximo possível do líquido presente na mancha e a cubra com sal. Deixe descansar e depois remova o sal e limpe conforme as instruções do fabricante do tapete.

Para dar brilho em peças decorativas feitas de bronze, prata, cobre, estanho, faça uma mistura com partes iguais de sal, farinha de trigo e vinagre. Aplique e deixe descansar. Remova o sal com uma escova macia e passe um pano seco em seguida para dar brilho à peça.

Pitadas de sal nos tecidos ajudam a retirar o mau cheiro, servem como desodorizadores. Para tirar o mau cheiro de sapatos, coloque duas colheres de sal em cada par. Esfregue bem e depois deixe no sol por meia hora para eliminar o chulé.

Agora que você conhece outros usos do sal, pode começar a diminuir seu consumo nas refeições e aumentar o uso do sal na limpeza da casa. Assim você evita a ingestão excessiva de sal e o uso de produtos químicos na hora da faxina.

Via Dicas de Mulher

Sal contra a Dengue

Postado em: 06/08/2014 às 12:46 por admin - curiosidades, dicas

Dentre os cuidados que podem ser adotados para evitar a reprodução do mosquito Aedes aegypti, o uso de produtos caseiros, como o sal, é um dos mais recomendados, por ser um método de combate eficaz e de baixo custo.

Adicionado na dosagem certa, o sal torna a água imprópria para a reprodução do mosquito, através de sua ação larvicida, que evita o desenvolvimento de larvas em locais com água parada.

Saiba como usar o sal ao combate a dengue:


Recipiente: Pingadeira sob vaso de planta
Recomendações: 
• Eliminar a água acumulada depois de regar as plantas e escovar a pingadeira.
• Colocar 0,5 colher (sopa) de sal, toda vez que esvaziar a pingadeira.

Recipiente: Pneus
Recomendações:
• Guardá-los secos em local coberto.
• Quando precisarem permanecer ao relento, tratá-los com 1 copo cheio de sal.
• Furá-los no mínimo em 6 pontos diferentes, mantendo-os na posição vertical.
• Quando utilizados como balanço, é suficiente um único furo no seu nível mais baixo.

Recipiente: Piscina
Recomendações: 
• Em períodos de uso, efetuar o tratamento adequado incluindo cloro.
• Para piscina sem sistema de filtragem de água, pode-se adicionar sal conforme tabela abaixo.

Recipiente: Vaso sanitário sem uso
Recomendações: 
• Mantê-los sempre tampados.
• Caso não possua tampa, acionar a descarga 2 vezes por semana.
• Adicionar 02 colheres (sopa) de sal, sempre que for acionada a descarga.

Recipiente: Ralos para água de chuva com rebaixamento (caixa para acúmulo de areia).
Recomendações: 
• Adicionar sal após cada chuva ou após escoamento da água de lavagem do local.
• Adicionar água sanitária, sabão em pó ou detergente semanalmente.

Recipiente: Armadilha para formiga do tipo vasilhame com água.
Recomendações: 
• Completar a água da armadilha utilizando sempre água com sal (0,5 colher de sopa para cada copo d’ água).

Tabela para uso de sal de cozinha no controle de larvas Aedes aegypti*
Quantidade de Água Quantidade de Sal
1 copo 0,5 colher (sopa)
1 litro 2 colheres (sopa)
5 litros 10 colheres (sopa)
50 litros 1 Kg
100 litros 2 Kg
200 litros 4 Kg
300 litros 6 Kg
400 litros 8 Kg
500 litros 10 Kg

* Quantidade de sal a ser colocado em recipientes fixos e com água não destinada para consumo humano.

Diferenças entre os sais marinho, grosso e light

Postado em: 18/06/2014 às 13:00 por admin - curiosidades

Sal marinho, sal grosso, sal light… Qual são as principais diferenças entre eles? Será que pode usar qualquer um desses na dieta?  Qual é o mais adequado para quem quer perder peso? Tire essas dúvidas aqui:

Sal marinho
Esta é a opção mais saudável para cozinhar, de acordo com a nutricionista Gabriela Maia, em entrevista à revista BONS FLUIDOS. Explica-se: o produto não passa pelo processo de refinamento, garantindo em sua composição nutrientes como flúor, enxofre, cálcio, magnésio e iodo natural. E não contém aditivos, como o sal refinado – considerado o menos saudável – que, além de perder todos os nutrientes originais, recebe antiumectantes pra mantê-lo branquinho e solto.

Sal grosso
É um produto não refinado apresentando na forma que sai da salina, sem passar pelo processo de moagem. É tão saudável quanto o marinho, mas como tem grãos muito grandes, não é adequado para o uso diário. Na culinária é muito usado em churrascos, carnes assadas  e peixes.

Sal light
O produto tem 50% de cloreto de sódio substituído por cloreto de potássio. É indicado para quem precisa diminuir a ingestão de sódio, como os hipertensos ou portadores de insuficiência cardíaca. Também é válido para reduzir a retenção de líquido e o inchaço (bom para quem quer perder peso). Mas atenção: ele deve ser evitado por pessoas com problemas renais, que devem ter a ingestão de potássio regulada.

(Com reportagem de Maria Carolina Bairo para a revista BONS FLUIDOS)

Sem ele, adeus a vida

Postado em: 28/05/2014 às 13:23 por admin - curiosidades

Quimicamente, a definição de sal é bem simples: trata-se de uma substância produzida pela reação de um ácido com uma base. Como há muitos ácidos e bases, há vários tipos diferentes de substâncias que podem ser chamadas de sal. O que chamamos popularmente de sal de cozinha, ou simplesmente sal, é o cloreto de sódio – formado a partir da reação do ácido clorídrico com a soda cáustica. A principal fonte dessa substância é a água do mar, porém ela também pode ser encontrada em jazidas subterrâneas, fontes e lagos salgados.

Além de cair bem ao nosso paladar, o sal é uma necessidade vital. Sem sódio, o organismo seria incapaz de transportar nutrientes ou oxigênio, transmitir impulsos nervosos ou mover músculos – inclusive o coração.

Um corpo adulto tem, em média, 250 gramas de sal. Mas, como o perdemos constantemente, pela urina, pelo suor ou pelas lágrimas, é essencial repô-lo. Curiosamente, a deficiência de sal não dá um aviso claro – como a falta de comida, que causa fome. Por um mistério da fisiologia humana, ninguém sente um incontrolável desejo por sal. A carência, que pode até matar, manifesta-se em dores de cabeça, fraqueza e náusea. De qualquer forma, o homem aprendeu a reconhecer esses sinais e sempre buscou complementar sua alimentação com sal.

Os outros animais também precisam de sal. Como uma quantidade da substância é retida no organismo deles, povos primitivos que viviam basicamente da caça ou do pastoreio não necessitavam suplementar sua dieta com sal.

A situação mudou quando as comunidades se assentaram, desenvolveram a agricultura e uma alimentação mais rica em vegetais – pouco generosos em cloreto de sódio. Os rebanhos passaram, então, a ser guias do homem na procura da substância. Vacas, estima-se, consomem dez vezes mais sal que humanos. Segui-las era um método eficiente para chegar às fontes salinas.

A arqueologia revela o apreço de civilizações antigas pelo sal. “Não há melhor comida que vegetais salgados”, diz um papiro achado no Egito. Os egípcios, aliás, também foram pioneiros no uso do sal para conservar a carne.

Cores e tipos de sal

Postado em: 21/05/2014 às 12:46 por admin - Cozinha, curiosidades, dicas


O que confere a coloração diferenciada no sal são argilas, lavas e algas das lagoas de evaporação. Elas são acrescentadas deliberadamente ao sal. No Havaí, por exemplo, o sal negro tem esta cor por causa da lava preta e os vermelhos devido à argila vermelha adicionadas ao cloreto de sódio. No sal rosa do Himalaia, a coloração se deve aos minerais presentes, como ferro e manganês. Consequentemente, o sabor é de lava, argila, alga ou minerais. No defumado, a fumaça fria proveniente da queima de madeira (na França, em alguns casos, de barris utilizados na produção de vinhos) é o que confere o novo sabor e coloração ao sal. Deve-se provar para saber se estes sabores diferenciados agradam.

Em relação à flor de sal, o sabor é diferente? Vamos lá: o sabor consiste em cheiro, gosto e textura. Como o sal não tem cheiro, eliminamos este item. Sobram textura e gosto, e isto realmente muda a percepção do sabor. Ao salpicar uma salada com flor de sal, que invariavelmente tem grãos maiores que o sal refinado, uma explosão de sabor é identificada em algumas garfadas, o que confere uma experiência diferenciada no paladar. “O grão da flor de sal causa um atrativo aspecto visual ao alimento e, mais ainda, por proporcionar uma textura crocante na mastigação quando adicionado após o preparo do prato. Isso acontece porque são utilizados apenas os cristais retirados da camada superficial das salinas, onde se formam os grãos translúcidos. Mas vale uma ressalva: ele possui 10% a mais de sódio do que o sal refinado”, diz Daniel.

Os diversos tipos de uso para o sal definem a oferta de diferentes granulações do produto. Para o drink marguerita, com cristais de sal na borda da taça, é preciso um sal um pouco grosso, que consiga grudar na taça específica para este fim. Já para a pipoca do cinema, é exatamente o contrário: um grão muito fino é o ideal, para que ele penetre nas frestas e salgue nosso delicioso milho espocado. No churrasco, um sal bem grosso que seja fácil de grudar nas carnes cruas e simples de retirar após o preparo.

 

 

 

Sal, auxiliar da saúde

Postado em: 26/02/2014 às 10:00 por admin - curiosidades

O sal já foi o grande vilão da saúde, mas a falta do ingrediente também pode ser tão ou mais nociva que o consumo em excesso.

Pesquisa realizada na Universidade de Lovaina, na Bélgica, acompanhou 2.856 pessoas que não eram hipertensas ou portadoras de doenças cardiovasculares. Os resultados foram surpreendentes. As mortes no grupo que consumiu menos sal foram superiores às do que o consumiu em excesso. Também foi constatado que o risco de doença cardiovascular também era 56% mais alto no grupo com o menor consumo de sal.

“O sal industrializado é rico em iodo, elemento indispensável no combate a doenças, como o bócio”, justifica a professora de nutrição Patrícia Simone Meciano Barreto. De acordo com ela, apesar de outros alimentos, como o peixe, também conterem iodo, a concentração dele no sal fornece a quantidade ideal de consumo diário. “O sal é essencial à vida saudável”, observa.

O sódio, por exemplo, ajuda a manter a pressão sanguínea e os fluídos corporais em níveis corretos. Também é um dos responsáveis por manter o coração batendo e seus músculos contraindo-se. Se o consumo do mineral não for suficiente, a pessoa pode sofrer fadiga, fraqueza e náuseas.

O sódio severamente baixo pode até levar a confusão, agressão, tontura, convulsões, coma ou morte, afirmam especialistas.

Cota diária

A nutricionista lembra que o consumo diário de sal não deve ultrapassar 6 gramas. “Mas estudos apontam que o brasileiro ingere, em média, 12 gramas diárias”, afirma. É muito.

Uma dica superimportante, de acordo com ela, é retirar o saleiro da mesa. “Acabamos acrescentando sal desnecessariamente. Esse sal de adição prejudica muito a qualidade de vida, especialmente do hipertenso. Nem mesmo na salada devemos adicioná-lo. Podemos usar várias especiarias que substituem o sal”, recomenda a nutricionista.

Formas de consumo do sal e a utilização em seu benefício

Postado em: 19/02/2014 às 13:27 por admin - curiosidades, sal

 

1 – Qual a importância do sal para a saúde?
O sal está diretamente ligado ao volume de fluidos fora das células. Tudo que modifica a quantidade de sal afeta a retenção de líquidos no corpo. Ele ajuda a regular as passagens de líquido e de substâncias pela membrana das células, mantendo a pressão osmótica delas. Além disso, é importante para a transmissão de impulsos nervosos.

2 – Sódio é sinônimo de sal?
Não. 6 g de sal equivalem a 2,4 g de sódio. Fique atento na hora de ler o rótulo dos alimentos: eles trazem a quantidade de sódio, e não de sal que eles contêm.

3 – Quanto deve ser consumido por dia?
A recomendação é que adultos ingiram de quatro a seis gramas de sal por dia.

4 – Há recomendações específicas para crianças e idosos?
Ambos devem consumir menos sal. Aconselha-se que os pais não adicionem a substância à comida das crianças até os dois anos de idade. Além de o leite materno e o sódio já presente nos alimentos suprirem suas necessidades, evita-se, com isso, que elas se acostumem a uma alimentação muito salgada, já que é nessa fase que se forma o padrão gustativo.
Já os idosos devem comer menos sal (o ideal seria cerca de 5 g por dia) porque tendem a reter mais sódio e também porque, com o envelhecimento, os vasos vão perdendo naturalmente a capacidade de distensão, sendo mais provável que desenvolvam hipertensão.

5 – Em média, quanto sal os brasileiros comem por dia?
Não há estudos populacionais que determinem um valor médio para todo o país. Mas pesquisas realizadas em alguns Estados mostraram que o consumo é de aproximadamente 12 g, valor muito acima do recomendado.

6 – Quem não acrescenta sal à comida come pouco sal?
Não necessariamente. Estima-se que 75% do sal que consumimos seja proveniente de alimentos processados industrialmente. Molhos como o ketchup, produtos em conserva e embutidos são as variedades mais ricas em sal. Os outros 30% vêm dos alimentos naturais e do sal que adicionamos aos alimentos.

7 – Doces estão liberados?
Não necessariamente. Quem tem hipertensão deve evitar produtos adoçados com ciclamato de sódio. Assim como o sal, esse adoçante tem sódio, que afeta a pressão.

8 – Posso suprir minha necessidade diária de sal só com alimentos naturais?
Sim. O sódio está presente na maioria dos alimentos, embora em quantidade pequena. Alimentos como carne, peixes e ovos podem suprir essa necessidade. O problema é que nossa alimentação é pobre em iodo, e o sal de cozinha é, por lei, enriquecido com essa substância. O iodo é importante para a saúde (gestantes que têm um consumo insuficiente de iodo, por exemplo, podem ter filhos com distúrbios cognitivos).

9 – O que acontece a quem ingere uma quantidade insuficiente de sal?
Problemas causados por ingestão insuficiente de sal são raros, mas acredita-se que uma dieta muito restritiva de sal (menos de um grama por dia para adultos) altera o perfil lipídico do organismo, aumentando os índices de colesterol ruim. Ainda não se sabe qual o mecanismo que leva a essa alteração.

10 – O excesso de sal leva à hipertensão?
Sim. Em populações que consomem muito sal, os índices de hipertensão são mais altos à medida que as pessoas envelhecem.

11 – O efeito do sal é o mesmo em todas as pessoas?
Não, os graus da sensibilidade ao sal variam de pessoa para pessoa. Acredita-se que algumas pessoas, por determinação genética, teriam rins que não manipulam bem o excesso de sal no organismo. Por isso, elas seriam mais sensíveis ao sal. Essa característica também está ligada a grupos étnicos: entre negros, por exemplo, a prevalência de pessoas mais sensíveis ao sal é maior. Homens e mulheres também apresentam resistência diferente ao sal. As mulheres, de modo geral, são mais “protegidas” contra os efeitos do sal até a menopausa. Depois disso, o risco de ter hipertensão é mais acentuado nelas do que neles.

12 – Como é possível saber se alguém é hipersensível a sal?
Existem testes que permitem averiguar a sensibilidade ao sal, entretanto, eles são utilizados apenas em pesquisas. Esses exames não são usados na prática clínica porque a recomendação para todas as pessoas, independentemente de elas serem sensíveis ou não, é comer pouco sal.

13 – Quem tem pressão baixa precisa comer mais sal?
Não, pois o fato de a pessoa ter pressão baixa não significa que ela não possa ter hipertensão no futuro. Além disso, sabe-se que os riscos de problemas cardiovasculares são maiores entre pessoas que comem muito sal mesmo quando elas não apresentam hipertensão arterial. O mesmo vale para problemas renais e digestivos. Estudos também mostram que o excesso de sal pode causar broncoespasmos, piorando quadros de asma.

14 – O excedente de sal é liberado pelos rins? Então por que se preocupar com a quantidade?
O rim tem uma capacidade limitada para filtrar e excretar o sal. Quando o consumo é muito alto, o rim trabalha sob uma pressão maior e pode ter seu funcionamento comprometido. A hipertensão é uma das principais causas de doença renal crônica. Além disso, ingerir muito sal aumenta os riscos de cálculo renal –formação de pequenas “pedras” nos rins.

15 – Em quanto tempo o organismo consegue expelir o excesso após uma alimentação sobrecarregada de sal?
Pessoas normais demoram de um a dois dias para reequilibrar o organismo. Em pessoas com hipertensão, o processo de eliminação do excesso de sal demora de cinco a sete dias.

16 – Consumir sal em excesso dá celulite?
Não. A retenção de água que o sal promove é intravascular, e não na pele. Isso pode causar inchaços nas pernas ou nos dedos da mão, mas não celulite.

17 – O sal causa problemas na tireóide?
Sim e não. O cloreto de sódio não afeta a tireóide. Entretanto, no Brasil, o sal é enriquecido com iodo. Se consumido em excesso, o iodo pode levar à tireoidite de Hashimoto em pessoas com predisposição genética a doenças auto-imunes. Em 2003, a Anvisa reduziu os níveis de iodo no sal para evitar esse tipo de problema.

18 – O que é o sal light e quais seus benefícios?
O sal light é formado por uma mistura de cloreto de sódio e cloreto de potássio. Embora os dois possam ser chamados de sal, eles afetam o organismo de formas diferentes. Enquanto o potássio regula a retenção de líquidos dentro das células, o sódio age fora das células. Embora seja recomendado a pessoas com hipertensão, o sal light não é indicado para pessoas com problemas renais. Embora o potássio não leve a doenças renais, problemas nos rins levam a um acúmulo de potássio no corpo, o que aumenta os riscos de problemas cardíacos.

19 – Quais as diferenças entre o sal marinho e o sal mineral?
Embora sejam extraídos de formas diferentes (o mineral de minas subterrâneas e o marinho, da evaporação da água do mar), os dois apresentam a mesma composição e causam os mesmos efeitos no corpo.

20 – Qual a diferença do sal para o glutamato monossódico?
Além do cloreto de sódio, esse tempero tem outras substâncias que realçam o sabor de alguns alimentos. Como é rico em sódio, ele não pode ser considerado uma alternativa saudável ao sal.

21 – Faz diferença colocar o sal durante o cozimento ou adicioná-lo depois, quando a comida já está pronta?
Sim e não. Os efeitos do sal são os mesmos, independentemente do momento em que ele foi adicionado à comida. Mas os médicos recomendam que as pessoas tirem o saleiro da mesa porque elas tendem a colocar mais sal quando a comida já está pronta do que quando temperam na hora do cozimento.

22 – Como deve ser o consumo de sódio em esportistas?
O sódio, assim como outros sais minerais, é liberado pelo corpo junto com o suor. Por isso, pessoas que se exercitam intensamente podem perder mais sódio. Mas isso só se torna um problema se o exercício for praticado por muito tempo (a partir de uma hora, uma hora e meia), principalmente em ambientes quentes e úmidos. Nesses casos, a reposição deve ser feita por meio de bebidas isotônicas, e não pelo acréscimo de sal na comida.

23 – Quais são as regras para a utilização de sal nos alimentos processados?
A legislação brasileira não impõe limites para a quantidade de sal adicionada aos alimentos industrializados nem obriga as empresas a colocar alertas nas embalagens. Mas os fabricantes são obrigados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a informar no rótulo o teor de sódio no alimento.