Arquivos da categoria ‘culinaria’

Conheça os tipos de sal e saiba como usá-los

Postado em: 17/08/2012 às 14:01 por admin - culinaria, curiosidades, dicas, sal

Diversos tipos de sal ganham as mesas dos brasileiros. Os produtos vão desde o tradicional marinho, passam pelo light e chegam aos gourmet, que dão um toque especial à comida preparada. Veja quais são os tipos do tempero e aprenda a usá-los:

Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo.

Flor de sal: esta é conhecida como uma das mais delicadas versões de sal. O ideal é acrescentá-lo após o preparo, quando o fogo já estiver desligado. Combina perfeitamente com carnes vermelhas, mas pode ser adicionado a qualquer prato, pois é capaz de realçar o sabor, sem fazer com que o alimento perca sua característica original. Esbanja quantidades de magnésio, iodo e potássio. É formado nas superfícies das salinas e, devido à ação do vento, adquire o aspecto de pequenos cristais. Apesar de produzido em diversos locais, o mais famoso é o da região de Guerande, norte da França.

Sal rosa: as reservas do sal rosa estão localizadas principalmente no Peru, no Vale Sagrado dos Incas, onde existia um oceano, há mais de dois mil anos. A água salobra brota do subsolo em pequenas poças e, com a evaporação, dá origem aos cristais de tom rosado. Seus grãos têm um elevado índice de umidade, com uma aparência grudenta, além de um sabor forte. Está entre as opções com menor teor de sódio e é ideal para temperar peixes crus, frutos do mar e aves.

Sal defumado: a aparência cinza revela um gosto levemente adocicado. Bastante produzido na França,  lá o sal é defumado pela fumaça fria proveniente da queima de barris de carvalho usados no envelhecimento de vinho. Em alguns locais é produzido ao colocar o sal comum em contato com a fumaça da queima de uma madeira aromática, como carvalho ou cerejeira. É bastante versátil e combina com pratos vegetarianos, carnes, aves e peixes. Mas controle-se: tem quase a mesma quantidade de sódio do sal comum.

Sal marinho: é considerado uma alternativa mais saudável que o sal refinado, que leva aditivos como o iodeto e agentes antiaglomerantes. O sal marinho é obtido pela evaporação da água do mar e seu conteúdo mineral lhe dá um sabor diferente do sal de mesa, que é obtido a partir de rochas. No Brasil, este é o tipo de sal mais comum e barato e é bastante produzido no Rio Grande do Norte.

Sal negro: este tipo de sal também é conhecido como Kala Namak e é obtido em reservas naturais da região central da Índia. Além da cor ser totalmente diferente do sal tradicional, o sabor também não é nada comum e, para muitos, lembra o de gema de ovo. Sua textura é crocante e muito solúvel e, por isso, é ideal para ser adicionado aos molhos, saladas e massas.

Sal rosa do Himalaia: este sal vindo da Ásia é um pouco mais caro que os outros sais importados. Este condimento é encontrado nos pés da montanha do Himalaia, uma região que já foi banhada por mar. O tom rosado se deve aos minerais presentes nele, como o ferro e o manganês. Como o sabor não é muito diferente, se mal usado pode se perder em meio aos ingredientes do prato. Carnes grelhadas, saladas com azeite e legumes na manteiga são boas opções para este sal. Porém, deve-se evitar as receitas com caldos, e, em carnes, deve ser aplicado na hora do preparo, já que tende a ressecar os alimentos porque atrai água.

Sal líquido: este sal é obtido pela dissolução de sal marinho em água mineral. Tem sabor suave e pode ser adicionado a todos os alimentos, principalmente em saladas. Esta versão salga menos, mas tem menos sódio que os convencionais.

Sal do Havaí: nesta região o sal é rosado. Rico em ferro, preserva o sabor ferroso de forma suave. Vai bem com molhos, saladas, vegetais e grelhados de carne vermelha. Seus grãos são maiores que os do sal comum. Entretanto, a quantidade de sódio é alta e deve ser consumido de forma moderada.

Sal grosso: os cristais grandes preservam as propriedades dos alimentos e evitam o ressecamento. É usado principalmente em carnes que vão à churrasqueira e naquelas assadas em uma espécie de invólucro.

Sal de aipo: o sal de aipo é basicamente o sal de mesa misturado com grãos de aipo secos e moídos. É utilizado para dar sabor em caldos e sopas.

Via Terra

Receitas de sais aromatizado

Postado em: 01/08/2012 às 21:12 por admin - culinaria, dicas, sal

Além de bons ingredientes, é claro, o segredo de uma comida saborosa está no uso harmonioso dos condimentos. O sal, por exemplo, é daqueles que não podem faltar. Mas sempre usado na medida certa para não estragar sua receita (e sua saúde também). Melhor ainda se ele for aromatizado e agregar novas sensações ao paladar.

Confira algumas receitas de sais aromatizados elaborados por chefs e nutricionistas para você experimentar em sua cozinha!

Sal de ervas e especiarias

Ideal para arroz, legumes e carnes brancas

Ingredientes

• 4 colheres de sopa de sal marinho

• 1 colher de sopa de manjericão seco

• 2 colheres de sopa de salsinha picada e desidratada

• 2 folhas de louro picadas

• 1 pitada de açafrão em pó

• 1 pitada de pimenta-do-reino

• 1 colher de chá de alecrim

• 1 colher de café rasa de casca de limão ralada

Modo de preparo

Misture tudo, coloque em um recipiente fechado e guarde na geladeira.

 

Sal temperado para massas

Ideal para colocar na água enquanto a massa cozinha.

Ingredientes

1 xícara de sal grosso

2 colheres de sopa de manjericão seco

2 colheres de sopa de orégano seco

Modo de preparo

Bata os ingredientes no liquidificador e guarde em um pote de vidro.

 

Sal aromatizado especial para carnes

Ideal para temperar a carne durante o preparo.

Ingredientes

200 g de sal marinho

1 colher de sopa de alho em pó

2 folhas de louro sem o veio central

1 colher de sobremesa de manjericão seco

2 colheres de sopa de mostarda em grãos

Modo de preparo

Bata no liquidificador todos os ingredientes menos o sal. Aos poucos, acrescente o sal até misturar bem. Coloque em um pote de vidro.

 

Fonte Casa.abril.com.br

‘Sal verde’ é dica para alimentação saudável

Postado em: 25/07/2012 às 17:50 por admin - culinaria, dicas-de-saude, sal, saúde

Sugestão saudável para mudar o hábito alimentar de quem costuma usar muito sal nos alimentos: Sal verde, uma mistura de ervas e sal marinho ou grosso.

A mistura  pode ser usada para temperar saladas e outras refeições, além de carne. A opção também serve para aumentar o número de nutrientes no cardápio.

Confira a receita:
2 colheres de sopa de salsinha seca;
2 colheres de sopa de orégano seco;
2 colheres de sopa de manjericão;
2 colheres de sopa de alecrim seco;
2 colheres de sopa de gergelim tostado;
1 colher de chá de sal marinho ou sal grosso.

Bata tudo no liquidificador.

Torta de linguiça

Postado em: 18/07/2012 às 19:29 por admin - culinaria

Preparo: Demorado (acima de 45 minutos)
Rendimento: 10 porções
Dificuldade: Fácil
Categoria: Torta salgada e quiche
Calorias: 473 por porção

Ingredientes

. 2 batatas cortadas em cubos pequenos
. 2 cenouras cortadas em cubos pequenos
. 1 pimentão amarelo cortado em cubos
. 1 colher (sopa) de óleo
. 300 g de linguiça calabresa defumada cortada em pedaços pequenos
. 2 alhos-poró cortados em rodelas finas
. Sal e pimenta a gosto
. 250 g de massa folhada para torta
. 4 ovos
. 4 colheres (sopa) de creme de leite
. 1 colher (sobremesa) de salsa picada
. 150 g queijo prato cortado em cubos pequenos

Modo de preparo

1. Cozinhe na água fervente com sal, a batata, a cenoura e o pimentão durante 10 minutos. Escorra.

2. Em uma panela, aqueça o óleo e doure a linguiça. Junte o alho-poró, a batata, a cenoura e o pimentão.

3. Tempere com o sal, a pimenta e refogue por 2 minutos. Deixe esfriar.

4. Com a massa folhada, forre o fundo e as laterais de uma forma de 22 cm de diâmetro.

5.  No liquidificador, bata os ovos, o creme de leite e misture a salsa.

6. Sobre a massa, coloque a linguiça com os legumes, por cima despeje a mistura de ovos e distribua uniformemente o queijo.

7. Leve para assar no forno, preaquecido, a 180 ºC durante 35 minutos ou até dourar.

Dica: substitua a linguiça por presunto cortado em cubos.

 

Via Mdemulher

Faça sua receita customizada.

Postado em: 13/07/2012 às 18:18 por admin - culinaria

Muitas vezes quando queremos muito uma receita recorremos a internet. Mas e quando a gente quer fazer um prato só com o que temos na dispensa, sem sair pra comprar nada? Fica difícil filtrar no Google, né?

Esse probleminha ficou no passado com o  Gojee, que se destaca entre tantos outros sites de receitas.

Ele ajuda o usuário a pesquisar por receitas de toda internet com ingredientes que já tem em casa, só digitando os nomes antes de procurar. Também dá pra pesquisar por “i crave”, aquele desejo louco de comer algo que não passa! Ele ainda deixa dizer quais ingredientes não gostamos ( ou quando tem alguém alérgico ou vegetariano…), pra que nenhuma sugestão com eles apareçam!

Gostamos e indicamos!

 

Costela desossada assada com tomate, cebola e cogumelo

Postado em: 26/06/2012 às 18:17 por admin - culinaria

Preparo: Médio (de 30 a 45 minutos)

Rendimento: 6
Dificuldade: Fácil
Categoria: Carne
Calorias: 480

Ingredientes:

. 1 costela bovina desossada
. Sal pimenta a gosto
. 1 xícara (chá) de vinho branco
. 2 tomates cortados em rodelas médias
. 2 cebolas cortadas em rodelas grossas
. 200 g de cogumelos

Modo de preparo:

Em uma assadeira, tempera a costela com o sal, a pimenta e o vinho. Deixe marinar durante 1 hora, tampada, na geladeira. Sobre a costela, espalhe as rodelas de tomate, cebola e os cogumelos. Polvilhe um pouco de sal e regue com o vinho da marinada. Cubra com papel alumínio e asse no forno preaquecido a 220°C durante aproximadamente 4 horas ou até ficar macia. Retire o papel alumínio e deixe dourar. Sirva em seguida.

Dica: A costela bovina desossada é encontrada congelada nos supermercados.

Empadão de carne seca

Postado em: 24/05/2012 às 17:25 por admin - culinaria

Prato originário de Portugal, o empadão também se tornou popular no Brasil. A receita mais tradicional é feita com purê de batata e carne picada, porém outros ingredientes como o peixe e o frango podem ser usados como recheio. Outra opção é preparar com carne seca e ingredientes como pimentão vermelho, tomates e queijo parmesão ralado.  Saiba como fazer.

Ingredientes

1 xícara (chá) e 3 colheres (sopa) de óleo

 1 cebola picada

4 ovos

500 gramas de carne seca dessalgada cozida e desfiada

1 xícaras (chá) de leite

1 pimentão vermelho pequeno cortado em cubos pequenos

3 tomates sem pele e sem sementes picados

 2 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo

1 colher (sopa) de fermento em pó

 6 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

Sal e pimenta a gosto

 Salsa picada a gosto

Modo de preparo

Recheio

Aqueça 1 xícara (chá) de óleo em uma panela e coloque a cebola. Deixe dourar e adicione o pimentão, o tomate e o pimentão. Refogue durante 3 minutos e junte a carne, a pimenta, a salsa e o sal. Aguarde esfriar e reserve.

Massa

Bata no liquidificador o leite, o óleo que restou, os ovos, a farinha de trigo, 3 colheres (sopa) de queijo ralado, o fermento e o sal. Pegue uma forma com 25 cm de diâmetro, unte com margarina e enfarinhe. Despeje metade da massa, coloque o recheio e por cima o resto da massa.Preaqueça o forno a 200°C, polvilhe queijo ralado e ponha para assar durante 40 minutos ou até que o empadão doure. Aguarde esfriar um pouco e desenforme.

Tipos de carnes salgadas brasileiras

Postado em: 07/05/2012 às 18:57 por admin - culinaria, sal

O processo de salgar os alimentos esta presente na história de quase todos os povos antigos. Existem relatos de salga de bacalhau entre os normandos e bascos no ano de 900 AC, os romanos descreviam métodos de salgar peixes em grandes tanques ao redor do mediterrâneo e, na história do Brasil, as charqueadas fazem parte do cotidiano das fazendas gaúchas, mineiras e paulistas.

Nos nossos cardápios é comum encontrar referencias a pratos executados com carne seca, carne de sol ou charque, talvez o prato mais famoso da culinária brasileira, a feijoada, não existisse sem a participação de carnes salgadas.

Para um processo de salga ser efetivado com sucesso precisa-se de muito sal, fino ou grosso, dependendo do resultado esperado, temperatura seca e ventilação abundante.

Tipos de carnes salgadas brasileiras
Carne de sol: Método popular do nordeste, antigamente conhecida como carne de vento. Pode ser feita com qualquer corte do boi, os cortes traseiros como coxão mole, alcatra e contra filé são os mais usados. A salga é leve, feita com sal fino, dura dois a três dias. A carne é pendurada em local arejado e protegido do sol, quando observa-se a formação de uma película branca na superfície o processo esta finalizado, propicia uma carne úmida e macia.

Carne seca: Tem origem no século XVII no interior do nordeste, na tentativa de prolongar a vida média da carne de sól. Conhecida popularmente como a carne seca do sertão, é muito salgada e tem origem em cortes dianteiros, cortados em mantas finas e empilhadas, propiciando uma desidratação por prensagem das mantas. No processo de salga, além do empilhamento e desidratação, a carne passa também por secagem ao sol e ventilação.

Charque: Processo de salga extensivo, com utilização de cortes finos, pilhas altas de mantas salgadas. Utiliza-se muito sal e tempo de salga prolongado. Método utilizado por muitos anos em fazendas do Rio Grande do sul, dedicadas, as vezes a somente essa atividade, as famosas charqueadas.

Jerked beef: Variante comercial e industrial do charque, acrescenta rigores tecnológicos de prensagem, salga e secagem, atenuando o tempo de preparo, embalagem e distribuição.

Tipos de salga
Sal fino: salga básica utilizada na culinária diária

Sal Grosso: Utilizado em conservação e preparo de churrascos

Sal Temperado e gourmet: adiciona características de sabor e aroma. Pode ser preparado comercialmente ou, na origem, ter adicionado outros nutrientes, minerais, algas e fungos

Salmoura: Método de culinária, sem possibilidade de utilização para conservação. Pode ser incrementado com vinagre, para melhorar o tempero e sofisticar o método.

Fonte: Doutor Gourmet

As utilidades do sal

Postado em: 23/04/2012 às 19:51 por admin - culinaria, curiosidades, sal

Confira aqui as “mil e uma fomas” de se utilizar o sal em seu benefício:


Na Sala de Estar (Carpetes)

As cores podem ser restauradas com auxílio de um pano umedecido em uma solução, meio a meio, de sal e água. Ao usar novos tapetes de lã, lembre-se que as traças não gostam dele. O segredo é esfregar o chão com uma solução concentrada de sal e água quente antes de assentar o carpete.

Nas lareiras
Outro segredo do sal, que possibilita às lareiras um funcionamento melhor e mais seguro: jogue um punhado de sal no chamuscar do fogo. Aprecie as bonitas labaredas amarelas enquanto o sal remove a fuligem acumulada e ajuda a evitar incêndios perigosos na chaminé. É um segredo que vale por dois!

Nas paredes
Ficou algum buraco feio na parede de onde tirou um quadro? Não se desespere, sozinha, poderá fazer a restauração. Misture quantidades iguais de sal e amido com água suficiente para fazer uma pasta. Os buracos serão facilmente restaurados e ninguém desconfiará.

Com os peixinhos dourados
Ocasionalmente dissolva uma colher de chá de sal em um litro de água fresca, à temperatura ambiente e coloque seus peixinhos dourados para nadar nessa solução por uns 15 minutos, devolvendo-os após essa operação, ao aquário. Isto os manterá saudáveis.

Na sala de jantar – Manchas na mesa
Não é novidade que pratos, copos quentes, ou molhados, deixam manchas brancas nas mesas. Eis um segredo para removê-las: faça uma pasta rala de óleo de salada em proporções mais ou menos iguais e esfregue a pasta sobre a mancha. Deixe em repouso por uma a 2 horas. Em seguida remova a pasta, esfregando-a até sair. As manchas desaparecerão.

Na sala de Jantar – Comida no carpete
Manchas de gordura nos carpetes podem ser removidas com solução de uma parte de sal para 4 partes de álcool. Esfregue sobre a mancha firmemente até esta desaparecer.

Nas flores e vasos
Aquele buquê preferido se conservará por mais tempo se adicionar um pouco de sal a água da jarra ou vaso. Um vaso fundo pode ser lavado despejando-se nele uma solução de sal e vinagre. Deixe-o em repouso com a solução por algum tempo, depois dê uma sacudidela enxaguando-o com água pura. Flores artificiais podem ser arrumadas artisticamente colocando-as em um leito de sal umedecido. À medida que o sal seca, ele se solidificará, firmando as flores em definitivo no lugar.

Na cozinha – Os queijos
Mofos (fungos) se desenvolvem nos queijos, para evitar o mofo, antes de colocar o queijo na geladeira, enrole-o em um pano umedecido em água salgada.

Aquecendo alimentos
Não vamos ensinar como ferver água, mas o sal é condutor de calor. Assim, para esquentar mais rapidamente a comida,ponha-a num prato sobre uma panela com água, com um pouco de sal, e aqueça-a.

Proteção contra formigas
Não deixe as formigas fazerem um piquenique em sua casa, o sal as manterá afastadas do chão da cozinha e balcão da pia. Borrife sal ao longo dos rodapés, nos cantos dos cômodos e nos balcões dos armários.

Geladeiras
Sal e solução de bicarbonato de sódio limpam e perfumam o interior de sua geladeira, com a vantagem de não arranhar o esmalte como alguns produtos mais fortes de limpeza.

Pratos de ovos
O sal que torna melhor o sabor dos ovos, também facilita a limpeza da louça suja de ovo. Imediatamente após o café da manhã, borrife sal nos pratos para então lavá-los quando tiver tempo.

Panelas engorduradas
Panelas de ferro engorduradas poderão ser facilmente lavadas se puser um pouco de sal nelas e esfregá-las com um papel.

Xícaras
Uma esfregada rápida com sal de mesa removerá as mais resistentes manchas de chá em suas xícaras.

Limpador de forno
Canela e o sal são excelentes restauradores de forno, ambos eliminam o cheiro de comida queimada. Borrife o forno enquanto quente, após secar remova as manchas de sal com uma escova dura ou pano.

Sua comida está queimando?
Jogue sal rapidamente sobre a comida ou sobre a gordura quando estiverem incendiando. Nunca use água. O sal extinguirá as chamas.

Aromatizantes salgados
O sal pode perfumar garrafas térmicas, moringas e outros recipientes fechados. Vegetais de aroma forte ficarão suavizados se colocados por 2 ou 3 minutos em água fervente. Depois, lave-os por 2 ou 3 minutos em água, cozinhando-os normalmente. Aves domésticas ficam mais saborosas se esfregadas com sal, por dentro e fora, antes de serem colocadas para assar. Retire o amargo das cafeteiras, enchendo-as com água e adicionando 4 colheres de sopa de sal. Depois enxugue-as em água corrente. Perfume o hálito, após comer cebolas, mordendo uma ou duas fatias de limão bem salgado. O cheiro desagradável de cebola e eventuais manchas de frutas e legumes nas mãos, poderão ser retirados com sal.

Utilização do sal para gourmets
Revigore as saladas borrifando sal antes de servi-las. Se colocou sal demais na sopa, recupere-a, colocando fatias de 1 ou 2 batatas para absorver o excesso. Depois é só retirar as batatas e usá-las para outra finalidade. Esfregue a grelha com um pequeno saco de pano cheio de sal para evitar que fique grudando e queimando. Use o mesmo artifício quando fritar peixe, borrifando antes a grelha com um pouco de sal.

Limpando
Para tirar o cheiro e evitar que o cano da pia da cozinha fique entupido pela gordura, use uma salmoura concentrada. Esfregue as tábuas de pão e cortar, não pintadas, com um pano embebido em sal depois de terem sido lavadas com sabão e água; elas parecerão mais novas. Vassouras novas se conservam mais, se mergulhadas em água salgada quente. Você pode dar vida nova às esponjas, colocando-as em água fria salgada, após o uso.

Banheiro – Tratamentos de beleza
Sal e óleo de oliva, são o melhor estimulante facial, misturados em forma de pasta. A fricção do sal e a lubrificação do óleo dão novo tom à pele cansada ou bronzeada em excesso.

Banheiro – Banhos de sal
Para ajudar a relaxar a tensão, massageie a pele úmida com sal antes do banho. Pés cansados sempre respondem bem a um banho quente de água e sal.

Tratamento com sal
Um gargarejo com água e sal muitas vezes alivia irritações da garganta e boca. Seu dentista, provavelmente lhe ensinará que usar partes iguais de sal e bicarbonato de sódio é ótimo para limpar os dentes e conservar as gengivas saudáveis. A mesma mistura também perfuma o hálito. Imite a natureza fabricando lágrimas: 1/2 colher de chá de sal em 1/2 litro, alivia tensões e descansa os olhos.

Eliminando espuma
É desagradável quando a máquina de lavar derrama espuma; então, mantenha o saleiro por perto e borrife sal quando a espuma ameaçar transbordar.

Realçando cores
Antigamente, era comum as donas-de-casa lavarem chita com água e sal para fixar a cor. Hoje as cores dos tecidos já vêm fixadas, podendo ir á máquina de lavar sem problemas. Entretanto, o sal torna mais clara as cortinas laváveis e tapetes de fibra.

Lavagem de roupas
Retire as manchas de suor das roupas, colocando-as de molho em água com sal antes de lavá-las (4 colheres de sopa em 1 litro de água). Clareie os tecidos de algodão ou linho amarelecido, fervendo-os por 1 hora em solução de sal e bicarbonato de sódio. Em climas muitos frios, as roupas não irão congelar no varal, se acrescentar um pouco de sal na última enxaguada.
Tire as manchas de roupas (inclusive as manchas de sangue), colocando-as de molho em água fria com sal; lave com água morna, depois coloque-as em água com sabão e ferva após a lavagem.
Precaução: Só tecidos de algodão, linho ou outros que possam receber calor alto.

Anti-mofo
Quando as roupas ou artigos de casa mofarem, molhe os locais manchados com uma mistura de suco de limão e sal, depois estenda-os ao sol, no varal, para um descoramento natural. Complete o tratamento com uma lavagem completa e secagem.

Quintal – Cuidados com animais de estimação
Pulgas gostam tão pouco de sal quanto os animais de estimação gostam delas. Para afugentá-las, experimente borrifar sal no seu cão ou gato. Isso ajuda a afastá-las.

Limpeza de bronze*
Maçanetas e outras peças de bronze adquirem novo brilho se esfregadas com uma pasta de sal, obtida misturando-se partes iguais de sal, farinha de trigo e vinagre. Deixe por 1 hora ou mais, depois limpe com um pano macio ou escova para dar o polimento final. Para peças de cobre, proceda do mesmo modo.

Parabrisa de carros
Esfregue um pouco de sal umedecido na parte externa do pára-brisa de seu carro para evitar aderência do gelo, neve ou geada.

Passagens e caminhos
No inverno, espalhe sal nas passagens e caminhos, para evitar o endurecimento do gelo e da neve. Para derreter o gelo e a neve, espalhe sal na calçada, na base de 270 gramas por metro quadrado. “Zombe” de seus vizinhos espalhando sal assim que a neve começar a cair. Ao amanhecer, sua calçada será a única limpa nas redondezas (isto se não nevar mais do que 7,5 cm).

Soro caseiro
Para crianças que apresentam sintomas de vômitos e diarréias: adicionar 1 pitada de sal e 1 punhado de açúcar ou 2 colheres de sopa de açúcar e 1 colher de café de sal, em 1 litro de água filtrada fervida. Dê pequenas doses de 1/2 em 1/2 hora. O soro caseiro deve ter o gosto da lágrima.

Alho e sal

Postado em: 17/04/2012 às 19:52 por admin - culinaria

Tempero Caseiro à Moda de Minas, para temperar deliciosamente o preparo de carnes e feijão.

500 gramas de alho
1 quilo de sal
cheiro-verde
1 cebola

Modo de Preparo:
Em um pilão pequeno, colocar o alho, a cebola e o cheiro-verde previamente picados. Socar bem até tomar consistência de pasta. Retirar, e acrescentar o sal, misturar bem e guarde em recipiente bem tampado. O tempero verde é adequado para carnes e feijão. Para o preparo de arroz, das verduras e legumes, é melhor usar o tempero branco. Para isto, eliminar o cheiro-verde e usa-lo no final ao cozimento para melhor sabor e cor.